quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

"O grande barato da vida é olhar para trás e sentir orgulho da sua história.

O grande lance é viver cada momento como se a receita de felicidade fosse o AQUI e o AGORA.

Claro que a vida prega peças. É lógico que, por vezes, o pneu fura, chove demais..., mas, pensa só: tem graça viver sem rir de gargalhar pelo menos uma vez ao dia? Tem sentido ficar chateado durante o dia todo por causa de uma discussão na ida pro trabalho?

Quero viver bem! Este ano que passou foi um ano cheio. Foi cheio de coisas boas e realizações, mas também cheio de problemas e desilusões. Normal. As vezes a gente espera demais das pessoas. Normal. A grana que não veio, o amigo que decepcionou, o amor que acabou. Normal.

O ano que vai entrar vai ser diferente. Muda o ano, mas o homem é cheio de imperfeições, a natureza tem sua personalidade que nem sempre é a que a gente deseja, mas e aí? Fazer o quê? Acabar com o seu dia? Com seu bom humor? Com sua esperança?

O que desejo para todos é sabedoria! E que todos saibamos transformar tudo em boa experiência! Que todos consigamos perdoar o desconhecido, o mal educado. Ele passou na sua vida. Não pode ser responsável por um dia ruim... Entender o amigo que não merece nossa melhor parte. Se ele decepcionou, passe-o para a categoria 3. Ou mude-o de classe, transforme-o em colega. Além do mais, a gente, provavelmente, também já decepcionou alguém.

O nosso desejo não se realizou? Beleza, não estava na hora, não deveria ser a melhor coisa pra esse momento (me lembro sempre de um lance que eu adoro): CUIDADO COM SEUS DESEJOS, ELES PODEM SE TORNAR REALIDADE.

Chorar de dor, de solidão, de tristeza, faz parte do ser humano. Não adianta lutar contra isso. Mas se a gente se entende e permite olhar o outro e o mundo com generosidade, as coisas ficam bem diferentes.

Desejo para todo mundo esse olhar especial.

O ano que vai entrar pode ser um ano especial, muito legal, se entendermos nossas fragilidades e egoísmos e dermos a volta nisso. Somos fracos, mas podemos melhorar. Somos egoístas, mas podemos entender o outro. O ano que vai entrar pode ser o bicho, o máximo, maravilhoso, lindo, espetacular... ou... Pode ser puro orgulho! Depende de mim, de você! Pode ser. E que seja!!!

Feliz olhar novo!!! Que o ano que se inicia seja do tamanho que você fizer.

Que a virada do ano não seja somente uma data, mas um momento para repensarmos tudo o que fizemos e que desejamos, afinal sonhos e desejos podem se tornar realidade somente se fizermos jus e acreditarmos neles!"

Autor: Carlos Drummond de Andrade

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Acabei de ler um livro chamado “Um dia”, trata-se de dois amigos que foram deixando de lado a paixão que sentiam um pelo outro para viver a amizade, quando finalmente entenderam que o que sentiam os impediria de viver a própria vida (20 anos depois) resolveram ficar juntos, curtiram a paixão apenas por 2 anos, pois ela sofreu um acidente e não resistiu...sei que é trágico e forte, mas me levou a perceber que sempre estamos deixando tudo para depois...depois eu vejo, depois eu falo, depois eu resolvo, depois eu compro...e ai simplesmente um dia começamos a dizer...e se eu tivesse visto, e se eu tivesse dito, e se eu tivesse resolvido, é claro que não vamos sair por ai fazendo tudo que temos vontade, mas podemos sim fazer tudo que esta no nosso alcance...a vida é tão curta!!!


Sabe aquele velho pensamento de que só damos realmente valor ao que perdemos, pois então é a pura verdade...e o mais dolorido é descobrir dessa forma, perdendo. É claro também que se conselho fosse bom, ninguém daria, venderia e não seria barato não e muito menos simples de se conseguir, o estoque esgotaria rapidinho, simplesmente porque estamos o tempo todo nos questionando. Se pararmos para pensar fazemos isso cada minutinho, nos questionamos. É sempre ruim quando nos oferecem muitas opções, é sempre complexo fazer uma escolha, mesmo sabendo que a vida toda sua cor preferida é azul, nunca se tem certeza quando esta estiver do lado de outra cor muito atraente.

Sempre tive muita vontade de escrever um livro, mas nunca tive coragem para tal, acredito que não tenho uma imaginação fértil, mas quando estou sozinha meus pensamentos viajam e até consigo criar umas histórias malucas, sempre para não ficar pensando nos meus próprios problemas ou na minha dor. Adoro ler, assistir filmes, novelas e séries, pois assim me envolvo com problemas que não são os meus e é claro que os problemas dos outros sempre são mais fáceis de ser resolvidos.

Quando paro para pensar no quanto minha vida mudou, quase enlouqueço, sinto falta da minha mãe e do idiota do meu irmão que acabou com sua própria vida, nunca entendi o porque de uma pessoa se suicidar e acredito que vou me fazer essa pergunta sempre, pq simplesmente não consigo entender, mas como disse no inicio, cada um tem o livre arbítrio para fazer sua escolha, mesmo que isso afete as outras pessoas, talvez seja egoísmo, talvez ele fez isso pensando em mim e no meu pai e no quanto nossas vidas ficariam dificieis sem minha mãe aqui e com ele, não sei dizer...sei apenas que dói pensar.

As vezes meus sonhos são muito reais e quando acordo, a dor chega a me sufocar...sonho com os dois constantemente e felizmente eles estão sempre felizes nos meus sonhos, não consigo acreditar em uma segunda vida, acho que tudo acaba aqui, mas se estiver errada quero que os dois estejam bem juntinhos, cuidando e olhando por mim e pelo meu pai.

Não dá para dimensionar a dor da perda, mas é duro...aprender a conviver com a ausência é o mais difícil.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Do lado de Cá - Chimarruts

Se a vida às vezes dá uns dias de segundos cinzas
e o tempo tic taca devagar
Põe o teu melhor vestido, brilha teu sorriso
Vem pra cá, vem pra cá
Se a vida muitas vezes só chuvisca, só garoa
e tudo não parece funcionar
Deixe esse problema a toa, pra ficar na boa
Vem pra cá

Do lado de cá, a vista é bonita
A maré é boa de provar
Do lado de cá, eu vivo tranquila
E o meu corpo dança sem parar
Do lado de cá tem música, amigos e alguém para amar
Do lado de cá
Do lado de cá

Se a vida às vezes dá uns dias de segundos cinzas
e o tempo tic taca devagar
Põe o teu melhor vestido, brilha teu sorriso
Vem pra cá, vem pra cá
Se a vida muitas vezes só chuvisca, só garoa
e tudo não parece funcionar
Deixe esse problema a toa, pra ficar na boa
Vem pra cá

Do lado de cá, a vista é bonita
A maré é boa de provar
Do lado de cá, eu vivo tranquila
E o meu corpo dança sem parar
Do lado de cá tem música, amigos e alguém para amar
Do lado de cá

A vida é agora, vê se não demora.
Pra recomeçar é só ter vontade de felicidade pra pular

Do lado de cá, a vista é bonita
A maré é boa de provar
Do lado de cá, eu vivo tranquila
E o meu corpo dança sem parar
Do lado de cá tem música, amigos e alguém para amar
Do lado de cá
Do lado de cá
Do lado de cá

....

Pequeno perguntou:

- Mas, quando tivermos morrido e partido, você continuará me amando, o amor continua?

Grande abraçou Pequeno carinhosamente enquanto contemplavam a noite, a lua na escuridão e as estrelas brilhantes.

- Pequeno, olhe as estrelas, como brilham: algumas já morreram faz tempo. Mas elas continuam brilhando no céu noturno, para você ver, Pequeno, que o amor, como a luz das estrelas, nunca morre...

(Debi Gliori, No Matter What (Aconteça o que acontecer))

Hoje faz um ano

Faz um tempo já que não posto nada, na verdade escrever é cutucar feridas e não estou querendo fazer isso. Quero começar uma vida nova, mas não é tão simples assim, não é simples esquecer as coisas que me aconteceram...

Me casei e estou super feliz, mas um pedaço de mim sente muita falta da minha vida antiga, não da vida de solteira, mas da minha família, sei que vou começar uma nova, mas eu queria muito que meu irmão e minha mãe estivessem aqui para compartilhar dessa felicidade comigo.

Hoje faz um ano que minha mãezinha se foi e a dor que sinto é física, dói como se eu estivesse apertando meu coração, tento não ficar chorando ao lembrar dos nossos momentos, mas é praticamente impossível...sabe eu ouvi que temos que procurar lembrar de todos os momentos bons que tivemos, mas infelizmente só consigo me lembrar dela naquela cama, sofrendo de dor em suas últimas horas.

É tão difícil continuar...mas estou tentando, tem dias que não tenho vontade de fazer nada, não quero sair da cama, mas me forço pq sei que meu marido e meu pai precisam de mim...e claro eu tb.

terça-feira, 22 de março de 2011